Esqueceu sua senha?

Insira o e-mail cadastrado que enviaremos as instruções

Quer receber as notícias do
Clubeonline em primeira mão?

Seu nome deve conter ao menos 2 caracteres. Quero receber informações de terceiros ENVIAR Quero ver a última edição

Enviar por email

Seu nome deve conter ao menos 2 caracteres. O nome do destinatário deve conter ao menos 2 caracteres. Digite um email válido. ENVIAR

Site oficial do
Clube de Criação

SITE OFICIAL DO
CLUBE DE CRIAÇÃO

Acesso exclusivo para
sócios corporativos:
Esqueci minha senha
Ainda não é cadastrado?
Seja Sócio do Clube de Criação

O CLUBE

LOJA

NEWSLETTER

Últimas

por Laís Prado

Informe CCSP

37º Anuário

Novo livro é uma ode à leveza e à criatividade pura

04
junho
2013




Guilherme Jahara, diretor executivo de criação da Leo Burnett Tailor Made e diretor de arte do 37º Anuário do Clube de Criação de São Paulo, foi buscar na infância inspiração para o livro deste ano.



"O resgate da infância é uma metáfora à leveza que deve haver na criação, é uma ode à criatividade pura", defendeu Jahara durante a apresentação do Anuário, que ocorreu na manhã desta terça-feira (04), na sede do Clube, em São Paulo.



O presidente da entidade e diretor de criação da F/Nazca, Eduardo Lima, reforçou a ideia defendida no Anuário, dizendo que, apesar da óbvia seriedade do mercado publicitário, dos grandes budgets e da responsabilidade extrema em relação às contas, a criatividade precisa estar livre de "amarras", da pressão cotidiana, dos prazos apertados, da busca por resultados imediatos, para aflorar e resultar em trabahos de fato instigantes e relevantes. “Este livro é uma ode ao mundo mágico da criança interior. O Reino das Ideias. Um lugar onde as assombrações prazo, ansiedade e pressão devem ser expurgadas. O bicho-papão das ameaças de tirar a conta deve ficar quietinho, debaixo da cama ou dentro do armário”, escreveu Edu Lima em sua carta de abertura do Anuário.



O livro, de 554 páginas, foi editado pela Gráficos Burti e apresenta os 299 trabalhos premiados no último Festival do CCSP. "O principal do Anuário são as peças selecionadas, que representam o melhor do que foi feito pelo mercado. O diretor de arte tem a missão de 'envelopar' todo esse trabalho, que foi premiado durante o Festival", destacou Jahara.



Sobre o tema que decidiu desenvolver, Jahara deixou claro que criar publicidade "não é brincadeira de criança", mas que o criativo precisa ter "menos amarras". O diretor de arte contou que quando foi convidado a dar uma "cara" para o Anuário, no ano passado (leia aqui), ficou "inquieto" de imediato. "Mas foi quando percebi que precisava relaxar, deixar a criatividade fluir. E foi assim que surgiu a ideia do resgate à infância", contou.



O livro é 100% ilustrado pelo próprio Jahara, que buscou desenhos "simples", inspirados em obras da literatura infantil e em sua filha de três anos. "Olhar para ela e ver o jeito que ela descobre todas as coisas me faz lembrar que temos que resgatar essa 'sementinha' dentro de nós também", declarou.



O Anuário deste ano tem sete lombadas diferentes (veja imagem), com ilustrações de uma "menina", um "menino", "cachorro", pássaro, entre outras. Nas páginas internas, os jurados foram desenhados também, mas o leitor pode abrir uma espécie de "janelinha" para ter acesso à fotografia verdadeira dos profissionais.



A "luva" que protege o livro apresenta uma "brincadeira". O leitor pode girar um disco e escolher a imagem que aparece na roupa da criança ilustrada na capa: entre as opções estão a "estrela", a "flor", o "coração" e o "pirulito".



As principais tipologias usadas no Anuário foram feitas à mão, simulando uma letra infantil. A fonte específica para o livro, criada por Jahara e batizada de "My childhood", foi desenvolvida pelo designer Eduardo Foresti. 



O livro traz ainda um brinde: uma série de adesivos com ilustrações integram a publicação, além do convite: “Continue com a magia”.



Jahara destacou ainda que o DVD que acompanha o Anuário traz, este ano, além dos trabalhos premiados, depoimentos dos presidentes dos júris, captados pela Paranoid logo após a finalização do julgamento das peças de cada categoria, em setembro de 2012. "A espontaneidade das declarações dos presidentes dos júris, no calor do momento, logo após a avaliação dos trabalhos, é muito bacana de ver, é um diferencial deste DVD", defendeu o criativo.



A 37ª edição do Anuário de Criação premiou a Nissan como “Anunciante do Ano” e homenageou Roberto Cipolla no “Hall da Fama”, que ganhou um texto assinado por Nizan Guanaes.



Ao todo foram inscritas 2.418 peças na edição 2012 do Festival.



O júri do 37º Anuário foi formado por 86 profissionais convidados pela diretoria do Clube. Ano passado, foi instituída uma nova categoria, a “Estrela Preta”, na qual podem ser inscritas campanhas que têm uma ideia considerada "revolucionária". A campanha vencedora foi “Cartas esquecidas de Papai Noel”, da Ogilvy & Mather para a Coca-Cola.



O Anuário começa agora a ser entregue gratuitamente aos sócios do CCSP, via correio, e também poderá ser adquirido na sede do Clube e em algumas livrarias, entre elas Siciliano e Saraiva, a partir do dia 10 de junho, por R$ 390,00. Para reservar o seu, ligue para 11 3030-9322 ou envie email para ccsp@ccsp.com.br.



Aproveite para se associar, pagando anuidade de R$ 490,00 (pode dividir) e garantindo de graça o próximo Anuário.