Esqueceu sua senha?

Insira o e-mail cadastrado que enviaremos as instruções

Quer receber as notícias do
Clubeonline em primeira mão?

Seu nome deve conter ao menos 2 caracteres. Quero receber informações de terceiros ENVIAR Quero ver a última edição

Enviar por email

Seu nome deve conter ao menos 2 caracteres. O nome do destinatário deve conter ao menos 2 caracteres. Digite um email válido. ENVIAR

Site oficial do
Clube de Criação

SITE OFICIAL DO
CLUBE DE CRIAÇÃO

Acesso exclusivo para
sócios corporativos:
Esqueci minha senha
Ainda não é cadastrado?
Seja Sócio do Clube de Criação

O CLUBE

LOJA

NEWSLETTER

Últimas

por Laís Prado

Tecnologia

Alcance real

YouTube aprimora métricas

20
março
2017



Novos recursos estão sendo agregados pelo YouTube. A plataforma de vídeos do Google informa que fez algumas atualizações para atender demandas de anunciantes. Para saber com quantas pessoas a marca se conectou, foi acrescentada a ferramenta Unique Reach no AdWords. Ela permite conferir o número de usuários únicos e a média das impressões por usuário em função do dispositivo, da tela e da plataforma. Isso quer dizer que a tecnologia tira a “duplicação" de uma pessoa que assiste a uma mesma campanha em devices diversos.

Outra questão que mobiliza anunciantes é saber quanto tempo os usuários gastam de verdade assistindo ao conteúdo criado pela marca. Por conta disso, o YouTube passa a disponibilizar relatórios sobre o tempo de audiência (watch time) para as campanhas de TrueView in-stream (vídeos que podem ser vistos na plataforma ou incorporados em outros sites ou em aplicativos; eles podem ser ignorados após cinco segundos) e Bumpers (vídeos de curta duração exibidos antes de outros no YouTube ou em aplicativos e sites parceiros na rede de display; eles não são interrompidos). Avaliar esse tempo, juntamente com os dados de viewability e audibility, aprofunda a análise de como os anúncios geram impacto.

O YouTube ressalta ainda que um estudo, o Google and DoubleClick advertising platforms data, apontou que a visibilidade dos vídeos cresceu de 54% em 2015 para 66% em 2016.