Esqueceu sua senha?

Insira o e-mail cadastrado que enviaremos as instruções

Quer receber as notícias do
Clubeonline em primeira mão?

Seu nome deve conter ao menos 2 caracteres. Quero receber informações de terceiros ENVIAR Quero ver a última edição

Enviar por email

Seu nome deve conter ao menos 2 caracteres. O nome do destinatário deve conter ao menos 2 caracteres. Digite um email válido. ENVIAR

Site oficial do
Clube de Criação

SITE OFICIAL DO
CLUBE DE CRIAÇÃO

Acesso exclusivo para
sócios corporativos:
Esqueci minha senha
Ainda não é cadastrado?
Seja Sócio do Clube de Criação

O CLUBE

LOJA

NEWSLETTER

Últimas

por Laís Prado

Mercado

Pesquisa – Officina Sophia

Apoio a 'causas' impulsiona propensão de compra

04
setembro
2018



As pessoas querem se aproximar de marcas com propósitos e crenças semelhantes às suas, mas algumas causas têm mais valor que outras, na percepção dos consumidores. Os dados foram apurados pela pesquisa "Diversidade", realizada pela Officina Sophia.

Segundo o estudo, respeito e convivência com idosos (97%), igualdade de tratamento entre pessoas com diferentes cores de pele (94%) e liberdade de religião (93%) são os temas que conquistam um percentual maior de pessoas favoráveis (veja a imagem abaixo).

O estudo também indica que as marcas devem ter uma atuação forte e verdadeira, com engajamento genuíno, uma vez que o brasileiro, em geral, é favorável ao apoio a causas relacionadas à diversidade. Entretanto, acredita que deve haver pertinência com relação aos temas, sem oportunismos.

De acordo com 84% dos entrevistados, as marcas e instituições deveriam apoiar "bandeiras". As causas mais citadas (confira imagem abaixo) são diferentes cores de pele (83%), convivência com idosos (82%) e igualdade entre homens e mulheres (81%).

O estudo também constatou que existe relação direta entre o apoio a causas e a propensão de compra dos consumidores (espie a imagem).

"O consumidor se identifica mais com marcas que respeitam a diversidade de forma contínua e verdadeira no seu dia a dia. As empresas, portanto, devem estar atentas às demandas da sociedade ao definir suas estratégias de negócios. Ademais, o envolvimento de maneira superficial e a defesa de causas por oportunismos ou modismos pode ser um verdadeiro tiro no pé", comenta Paulo Secches, presidente Officina Sophia Conhecimento Aplicado.

Realizada nacionalmente, no mês de julho, a pesquisa entrevistou duas mil pessoas, entre 18 e 50 anos, homens e mulheres, de todas as classes sócio-econômicas, de São Paulo (capital e interior), Rio de Janeiro, Belo Horizonte, regiões Sul, Centro-Oeste e Nordeste.