arrow_backVoltar

Recordes de Vingadores: Ultimato

Disney fará história em 2019. E não apenas com a Marvel

30.04.19

Os números do final de semana de abertura de Vingadores: Ultimato não poderiam deixar a Disney, dona da Marvel, mais feliz. As expectativas eram ótimas e a pré-venda de ingressos já dava sinais de que viria um recorde por aí. Os resultados foram ainda melhores. O novo filme do Universo Cinematográfico Marvel (MCU, na sigla em inglês) amealhou US$ 1,2 bilhão na estreia global - sem contar a Rússia, onde o longa entrou em cartaz na segunda-feira (29). No mercado americano, foram arrecadados US$ 350 milhões.

O segundo lugar agora é também uma produção MCU: Vingadores: Guerra Infinita. Sua arrecadação global na abertura, no ano passado, ficou bem atrás do feito atual, chegando a US$ 640,5 milhões.

Na análise da bilheteria feita fora dos EUA, Ultimato somou US$ 859 milhões. Até então o recordista era “Velozes e furiosos 8”, que havia feito US$ 443,1 milhões. Em terceiro lugar, ficou Guerra Infinita, com US$ 383,8 milhões. Esses dados mostram o poder das vendas de ingressos em outros mercados do último filme da Marvel.

Ultimato é também a produção que mais rapidamente atingiu a cifra do US$ 1 bilhão (menos de cinco dias). O segundo colocado nesse quesito foi Guerra Infinita, que atingiu esse montante com 11 dias de exibição.

Mais recordes

Com as vendas de ingressos do final de semana, a Disney sonha com a possibilidade de Ultimato bater o recorde de maior bilheteria do cinema, que pertence a “Avatar”, com US$ 2,78 bilhões. Atrás estão"Titanic" (US$ 2,18 bilhões) "Star Wars - O Despertar da Força" (US$ 2,06 bilhões) e "Guerra Infinita" (US$ 2,04 bilhões). A Forbes, por exemplo, já declarou que, seguindo nesse ritmo, o longa - que concluiu parte de uma saga iniciada em 2008 com Homem de Ferro - poderá arrecadar US$ 2 bilhões no próximo final de semana (leia mais aqui).

Blockbusters

A Disney tem mais motivos para celebrar os resultados do final de semana. Capitã Marvel continua fazendo dinheiro. Lançado em março, o longa superou a marca do US$ 1 bilhão. No top 10 das bilheterias globais do final de semana, além de Vingadores: Ultimato e da Capitã Marvel (segundo filme no ranking), a companhia tinha Dumbo (7º colocado) e Pinguins (10º).

Mas há mais duas fortes apostas de bilheterias com possíveis recordes neste ano. Em 18 de julho entra nos cinemas do mundo a nova versão de O Rei Leão. E em 19 de dezembro é a estreia mundial do nono filme da franquia Star Wars (The Rise of Skywalker). Ainda que soe como heresia a ouvidos nerds, alguns especialistas estimam que o grande blockbuster de 2019 será o live-action de  O Rei Leão. Nem os Vingadores, nem guerra nas estrelas. Foi o que se comentou no evento CinemaCon, em Las Vegas, no início deste mês. Algumas razões estão no apelo que a história tem sobre várias gerações, a qualidade da produção e o elenco por trás dos personagens. O remake conta com Beyonce como Nala e Donald Glover como Simba. O Rei Leão original amealhou US$ 968 milhões desde seu lançamento, em 1994.

A Disney teve um lucro total de US$ 12,5 bilhões no ano fiscal de 2018 (encerrado em setembro), o que corresponde a crescimento de 40% sobre o período anterior. A parte de filmes foi um dos principais impulsionadores da corporação. O Studio Entertainment lucrou US$ 596 milhões, alta de 173% sobre o exercício anterior. O comunicado da companhia aponta que esse movimento se deve ao “desempenho excepcional” dos lançamentos nos cinemas: Pantera Negra, Star Wars: O Último Jedi, Vingadores: Guerra Infinita, Incríveis 2, Homem Formiga e a Vespa.

É bom lembrar que a empresa comprou em 2009 a Marvel Entertainment por cerca de US$ 4 bilhões. E em 2012 adquiriu a LucasFilm, dona de Star Wars, também por US$ 4 bilhões.

Ante os resultados até o momento de Vingadores: Ultimato e mais Capitã Marvel, a MCU está dando uma importante contribuição para que a Disney feche bem o ano. Mas Star Wars e O Rei Leão prometem outras chances de recordes. E não se deve esquecer que o serviço de streaming, o Disney +, vem aí, em novembro. Por tudo isso, pode-se esperar que 2019 será um ano e tanto para a companhia fundada por Walt Disney.

 

Sobre Vingadores: Ultimato leia também: Jornada épica para a Marvel e para as marcas e "Quem morre em Vingadores 4?" - as buscas dos fãs no Google

Recordes de Vingadores: Ultimato

Disney fará história em 2019. E não apenas com a Marvel

/