arrow_backVoltar

Recrutamento às cegas

Lew’Lara contrata 12, e segue processo seletivo

21.02.19

A Lew’Lara\TBWA, há três meses, adotou o modelo de recrutamento às cegas, por meio do qual não se dá visibilidade a aspectos como idade, gênero, endereço, nome de universidade cursada e locais onde trabalhou, mas sim sobre habilidades, conhecimentos, expectativas e experiências. 


Passados os três meses, 12 profissionais foram contratados para as sedes de São Paulo e Brasília, incluindo profissionais para as áreas de B.I., planejamento, RH, mídia e social media.


Para o diretor de RH da empresa, Amauri Ferreira, este modelo, novo no Brasil, abre oportunidade para se construir um ambiente mais diverso. "O entendimento do grupo TBWA sobre diversidade tende a ser mais amplo e profundo. Buscamos não apenas a diversidade que os olhos veem, como cor, idade e gênero, mas também a diversidade na educação, cultura, comportamento e nas experiências de vida”. 


De acordo com Sheila Wakswaser, sócia, CFO e responsável pela área de Recursos Humanos da Lew’Lara, até o primeiro semestre, a agência espera que 80% de suas vagas sejam preenchidas com o uso deste modelo de recrutamento. Acreditamos que um time diverso traz mais relevância para o nosso negócio. E é nisso que estamos apostando”.


As vagas em aberto podem ser consultadas no site da agência.


A Artplan também adotou, em maio de 2018, o sistema de recrutamento às cegas (leia aqui).


BETC/Havas foi outra que aderiu a este processo seletivo (aqui).


Recrutamento às cegas

Lew’Lara contrata 12, e segue processo seletivo

/