arrow_backVoltar

Criado-Mudo

O meu pergunta: você tem approach?

24.04.08

Amigos e amigas, nesta semana fui surpreendido pelo meu criado-mudo com a seguinte pergunta: você tem approach? 


Alguns iriam perguntar: que catzo é um approach. Approach, se levar ao pé da letra, é a famosa “aproximação”.

E essa aproximação gerou até um samba com os Zecas (Baleiro e Pagodinho), que era mais ou menos assim:


Venha provar meu brunch
Saiba que eu tenho approach
Na hora do lunch
Eu ando de ferryboat...(2x)


Samba, que serve muito bem para o momento atual na propaganda, onde tudo parece distante e artificial. Pasteurizou tanto que até o criado-mudo sentiu.


Sabe, meu criado-mudo anda meio encabulado com certas idéias constantes no ar. Atualmente, qual cerveja que não é a favorita das beldades? Qual empresa de telefonia que não te liberta as fronteiras? Qual tênis que não te faz ter atitude e sonhar com um desempenho de ídolos? Bem-vindo ao planeta da propaganda sem approach.


Meu criado-mudo também me deu um pé-de-ouvido e contou que é raro ver campanhas onde se valorizam idéias e que falem com o grande público, respeitando sua inteligência e interagindo com tudo e todos, sempre que possível.


O outro valor do approach que desapareceu entre os criativos é a junção de referências. Falta a mescla do tudo. A soma do Renoir com a grafiteira Nina. A mescla de Francis Ford Coppola com Walter Avancini. Ou, por que não, unir o pernambucano Capiba com um jazz de Ella Fitzgerald?

Livros, músicas, sexo, viagens, culinária, moda. Tudo pode ser um modo de se aproximar do grande povo.


Aliás, o maior exemplo de um approach que deu certo é o grande Sergio Mendes. Uniu a Bossa Nova com a eletrônica e o hip-hop, e deu novas caras e cores ao gênero que mudou a atitude musical do país.


É hora de unir. E não separar ou pasteurizar. Precisamos de criativos com atitude. Com o tal approach, que só o brasileiro tem. Aquele cara que assobia um samba de Nelson Sargento lendo Wall Street. Ou que come um yakissoba passeando com um Pug em Itaquera. Sacou?


E aí, você tem approach?


Luís Butti
Redator da QG Propaganda

Comentários

alexandre minduim -  Você vomitou um monte de referências. Misturou alhos com bugalhos.

Luis Butti -  Sensacional este texto. Adorei. Daqueles que a gente lê e pensa: "Queria ter feito." Pena que eu já fiz esse texto quando trabalhava pro Coritiba. memoriadapropaganda@hotmail.com


Fabão - Nossa, fantástico. Parabéns à QG por contar com alguém tão talentoso na sua equipe. Abs, Fabão


 

Criado-Mudo

O meu pergunta: você tem approach?

/