arrow_backVoltar

Eduardo Cunha

MP questiona repasses feitos pela Gol

20.10.16

O Ministério Público Federal colocou a Gol Linhas Aéreas e a AlmapBBDO na linha de investigações referentes às movimentações financeiras do ex-deputado Eduardo Cunha, preso na quarta-feira 19. Um dos documentos apresentados pelos procuradores do Paraná, que estão atuando na força-tarefa da Lava Jato, aponta que a Almap foi uma das fontes de recursos de empresas de Cunha. O relatório de informação número 208 discrimina que a agência repassou R$ 1,4 milhão para a companhia C3 Atividades de Internet, atualmente renomeada como Jesus.com (do ex-deputado com a mulher, a jornalista Claudia Cruz). E também R$ 1 milhão para a GV3 (dos filhos de Cunha). Também são relacionadas empresas da família Constantino, dona da Gol Linhas Aéreas, anunciante atendido pela Almap.

No documento em que os procuradores solicitam a prisão de Cunha estão as seguintes afirmações: “praticamente todos os depósitos identificáveis na Jesus.com e na GDAV indicam uma só origem: o grupo econômico Constantino que comanda a empresa Gol Linhas Aéreas e diversas empresas de ônibus” e “não há indício de que as empresas Jesus.com e GDAV tenham prestado algum serviço efetivo de publicidade compatível com os valores depositados”.

A companhia aérea se pronunciou por meio de um comunicado que diz: “A Gol informa que recebeu solicitação da Receita Federal para prestar esclarecimentos sobre alguns investimentos publicitários realizados pela companhia. Desde o recebimento dessa solicitação, a Gol iniciou uma investigação interna e contratou uma auditoria independente externa para plena apuração dos fatos. A Gol está colaborando com as autoridades.”

Já o comunicado da Almap explica que não houve qualquer tipo de repasse de dinheiro, e sim a aquisição de espaço publicitário e que a agência foi "surpreendida" com o fato de alguns dos websites que faziam parte do plano de mídia estarem sendo citados como empresas ligadas ao ex-deputado Eduardo Cunha.

O texto oficial afirma o seguinte: “A AlmapBBDO é a agência de publicidade da GOL Linhas Aéreas há 14 anos e nos orgulhamos de nossa participação na construção desta importante marca brasileira. Em 2012, desenvolvemos uma campanha promocional que previu um plano de veiculação de banners, entre outras peças, no período de outubro de 2012 e novembro de 2013, que contou com mais de 50 websites.

O plano de mídia requisitado pelo cliente incluía, entre outros, os websites Portal Mogi Guaçu, Uai, Vagalume, Forbes Internacional, VEJA, Catraca Livre, Facebook, YouTube, iG, Yahoo!. Também fizeram parte do plano de veiculação aqueles websites que estão sendo citados pela mídia como empresas ligadas ao ex-deputado Eduardo Cunha, informação pela qual fomos fortemente surpreendidos.

Em respeito à verdade, entendemos ser indispensável esclarecer que não houve qualquer tipo de repasse de dinheiro, e sim a aquisição de espaço publicitário efetivamente utilizado, de acordo com as normas do mercado e regulados pela Lei 4.680. Toda a operação está comprovada pelos documentos já disponibilizados para as autoridades.

A AlmapBBDO sempre se pautou e sempre se pautará por rígidos princípios éticos e morais."

Já o Grupo Comporte, da família Constantino, enviou ao Clubeonline o seguinte comunicado:

"Sobre os supostos repasses às empresas Jesus.com, as empresas do Grupo Comporte seguem colaborando com as autoridades para o total esclarecimento dos fatos".

Eduardo Cunha

MP questiona repasses feitos pela Gol

/