arrow_backVoltar

No Brasil

Investimento publicitário em digital chega a R$ 16 bi

07.06.19

Os investimentos em publicidade digital no Brasil chegaram a R$ 16,12 bilhões em 2018, espondendo por uma participação de um terço do bolo publicitário, de acordo com o relatório "Digital AdSpend 2019".

Em comparação com outros países, a mídia digital no Brasil ainda tem uma participação percentualmente inferior em comparação aos EUA (39%) e ao Reino Unido, onde mais da metade das verbas publicitárias - 52% - vai para o meio.

Realizada pela primeira vez no Brasil pela consultoria PwC, parceira global do IAB (Interactive Advertising Bureau), a nova edição da pesquisa adota uma nova metodologia, que combina a análise de dados publicados pelas maiores empresas do setor com extrapolações econômicas captadas por meio de relatórios financeiros de companhias globais. A edição deste ano inclui mais de 70 empresas respondentes (entre veículos, anunciantes e agências).

De acordo com a IAB, por conta da nova metodologia, não se deve comparar, de forma direta, os resultados atuais com os números apurados nos anos anteriores. Em 2017, a pesquisa realizada por outro instituto revelou que o investimento em digital no Brasil foi de R$ 14,8 bilhões.

Pela primeira vez, a análise segmentada avalia os investimentos por plataforma - mobile, tablets e desktops - e distingue os recursos aplicados por objetivo de campanha.

Segundo apurado, a distribuição entre branding e performance ficou equilibrada, com 46% e 54% das verbas respectivamente.

Os investimentos em vídeo somaram 38% das verbas versus a participação de 15% que representou no mercado dos EUA no mesmo período.

"O sucesso do formato de vídeo está diretamente ligado ao ritmo acelerado do consumo desse formato no Brasil, cujo conteúdo atrai uma nova geração de brasileiros que assiste o que quer e quando quer a partir de seu smartphone. Some-se a isso a força do vídeo online para a construção de marca e também o desenvolvimento de formatos inovadores destinados à geração de resultados de negócio", avalia Fabio Coelho, managing director Brazil e VP da Google Inc.

O estudo também detecta a consolidação do mobile como a plataforma digital preferida pelos anunciantes. "Em 2018, o mobile ficou com 67% das verbas do digital, ou seja, duas vezes mais do que o que foi direcionado para o desktop, o que evidencia a força dos smartphones junto à população", comenta Ana Moisés, presidente do IAB Brasil.

Na distribuição dos recursos por mídia, a categoria “Search, Classificados e Comparadores de Preço”, que sempre capturou a maior parte das verbas do digital por formato, no novo estudo respondeu por 18% dos recursos.

A categoria “Display e Mídias Sociais” manteve-se alta, com 34% do total, sendo superada agora pela categoria “Vídeo” (38%).

Em relação ao modelo de compra, o estudo traz uma visão inédita sobre o programático. A pesquisa detectou que as compras via Facebook Self Served e Google AdWords representaram 26% e 25% do total, respectivamente. Na sequência vêm Compras Diretas (22%); Open RTB (10%); Ad Networks (6%); Leilões Privados (4%); Bing Self Served (3%); Programático (2%); e outros modelos também com 2%.

"Os dados revelam, de forma consistente, que a publicidade digital segue crescendo no mercado brasileiro, e mesmo em um contexto adverso da economia, os anunciantes estão utilizando cada vez mais o digital em suas estratégias de marketing e publicidade", defende Ana Moisés.

 

No Brasil

Investimento publicitário em digital chega a R$ 16 bi

/