arrow_backVoltar

Nota de Falecimento

Bibi Ferreira, aos 96 anos

13.02.19

Bibi Ferreira, atriz, cantora, compositora, musicista e diretora, morreu no início da tarde desta quarta-feira (13), em seu apartamento, no Morro da Viúva, bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro, aos 96 anos.

Nascida em 1º de julho de 1922, Abigail Izquierdo Ferreira, que usava o nome artístico Bibi Ferreira, era filha do ator Procópio Ferreira e da bailarina espanhola Aída Izquierdo.

Com mais de 90 anos profissionalmente nos palcos, a artista estreou aos três anos de idade, na Companhia Velasco, na qual sua mãe atuava, e seguiu no teatro até os 95 anos, no final de 2017.

Na televisão, Bibi inaugurou a TV Excelsior, em 1960, com o programa "Brasil 60" (e depois 61, 62, conforme os anos iam passando), no qual usou o recurso do videotape para transmitir reportagens das capitais brasileiras. Na mesma emissora fez "Bibi Sempre aos Domingos". Era poliglota e extremamente culta.

Em 1968, comandou, na TV Tupi carioca, o musical "Bibi ao Vivo", com direção de Eduardo Sidney. Foi a primeira a apresentar o Oscar no Brasil, para a TV Tupi, em 1972.

Em 2009, fez uma participação especial na novela "Caminho das Índias", da Rede Globo, onde apareceu cantando.

Bibi Ferreira também brilhou nos musicais. Na década de 1960, estrelou "Minha querida dama (My fair lady)", de Frederich Loewe e Alan Jay Lerner, e "Alô, Dolly! (Hello, Dolly!)", versão de "The matcmaker", de Thornton Wilder, com Hilton Prado e Lísia Demoro. Nos anos de 1970, protagonizou o musical "O homem de La Mancha", de Dale Wasserman. Recebeu o Prêmio Molière em 1975, pela interpretação da personagem Joana, de "Gota d’água", de Paulo Pontes e Chico Buarque.

Em 1983, viveu a cantora francesa Edith Piaf, em "Piaf – A Vida de uma Estrela". Sua performance foi considerada “mediúnica” por alguns críticos, por conta da semelhança da interpretação, seja na voz, no aspecto físico ou no temperamento da artista interpretada por Bibi. Já no início dos anos 2000, fez a fadista Amália Rodrigues, em "Bibi vive Amália".

Bibi foi casada cinco vezes, deixa uma filha, Cristina Ferreira, dois netos e dois bisnetos.

Foi enredo da escola de samba carioca Viradouro. Teve um espetáculo em sua homenagem: Bibi uma vida em musical.

O velório acontecerá no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

 

Nota de Falecimento

Bibi Ferreira, aos 96 anos

/