arrow_backVoltar

‘Um novo tempo’ ao alcance das mãos

Filme de final de ano da Globo remete à beleza do dia a dia

21.10.19

Um liquidificador? Ou um secador de cabelos? O que faz parte do novo filme de final de ano da Rede Globo, que tradicionalmente adentra os lares brasileiros entoando que “hoje é um novo dia de um novo tempo” para celebrar o que já passou e saudar o que vem por aí. Durante dois dias, no final de semana passado (19 e 20), parte do elenco da emissora, de atores a apresentadores (um grupo composto por cerca de 300 profissionais), esteve nos estúdios da TV para compor a mensagem de despedida de 2019.

Com direção de Maurício Guimarães e Luciano Zuffo, sócios da Sentimental Filmes, o filme deste ano - que vai ao ar no intervalo do Fantástico do dia 24 de novembro, em versão integral (três minutos) - tem a proposta de estimular o público a se inspirar nas coisas simples da vida e na beleza que se encontra no dia a dia. É um convite para que se busque fazer "um novo dia" a partir de momentos triviais, a partir do cotidiano.

Nos sets utilizados na gravação estão elementos tão prosaicos quanto um varal de roupa ou latas de lixo. Convocado mais uma vez para trabalhar no projeto, o cenógrafo Zé Carratu, que respondeu pela direção de arte da mensagem do final de 2018, conta que a ideia era tirar som de coisas do dia a dia, a partir de objetos, para trazer ação e música para o filme.

Como todos sabem, música é elemento essencial da vinheta de final de ano da Globo. O jingle “Um novo tempo” acompanha o brasileiro desde 1971. São gerações esperando a campanha surgir na telinha para rever algumas das personalidades da TV mais conhecidas da população. E o hit foi ganhando versões distintas com o passar do tempo. Mas nesta edição a música ganhou um papel especial. Explica-se.

O processo criativo da vinheta começa ainda no meio do ano, com o time comandado por Sergio Valente, diretor de comunicação da Globo, definindo o conceito a ser trabalhado. Essa jornada se inicia bem cedo porque o briefing tem de ser dado com bastante tempo para que o projeto possa ser pensado por mais mentes criativas. Três meses atrás, Carratu se reuniu com Maurício e Luciano e mais Serginho Rezende, fundador e diretor da Comando S, responsável pela música e pelo áudio, além da equipe de criação da emissora.

Queríamos passar a mensagem do sonho, mas não podia ser algo ingênuo. Não é sonhar por sonhar, mas sonhar com o que a gente tem. É pegarmos as coisas que temos no nosso dia a dia para que a gente possa se divertir no caminho. É construir a felicidade com os elementos do nosso cotidiano. Não é um ‘novo dia’ inatingível”, afirma a diretora de criação Mariana Sá.

Daí a importância de trazer objetos, cenas e situações habituais para o filme. Como extrair desse material uma base para condensar a mensagem de final de ano? O exemplo do liquidificador ajuda a decodificar esse desafio. Serginho, que é baterista, experimentou os sons de vários objetos para encaixar na proposta. Não bastava apenas escolher um item e inseri-lo no set.

Desde 2013, quando atendeu convite de Valente, Serginho vem encarando o desafio de apresentar novas leituras para a música. Seu objetivo era trazer um lado musical mais pop e também brasileiro. A vinheta tinha de se modernizar sem deixar de ser emocional. E isso foi feito ao longo dos anos. Para a versão de 2019, o que poderia produzir? “Precisava realizar essa história de ter objetos do cotidiano”, lembra Serginho. Com as discussões do grupo, chegou-se ao consenso de que a batida do funk carioca representaria bem essa missão.

Dentre os vários objetos que entraram na mira, um deles era o liquidificador. Serginho gravou o som e fez diversas experimentações, mas não era o que buscava. Então, Maurício sugeriu um secador. Novamente, vieram as experimentações. Até que surgiu uma ideia mais lúdica - que virou um dos momentos criados para o filme, cujos detalhes só serão revelados no lançamento da mensagem.

É preciso dizer também que um dos pontos que favoreceu imensamente o processo criativo foi o próprio Serginho ter feito vídeos de suas experimentações. Embora fossem caseiros, eles iluminaram propostas que se concretizaram nos sets criados por Carratu. Uma dica para se imaginar o que estará nas cenas é a referência a um gênio da música. “Hermeto Pascoal é o cara mais adequado para mencionarmos aqui”, diz o cenógrafo.

Filme não é uma campanha da John Lewis

Na criação da Globo desde 2013, Mariana esteve envolvida com todas as vinhetas de final de ano. Ela observa que a mensagem da Globo tem diferenças significativas em comparação ao trabalho que uma marca como John Lewis tem todo ano. “Não é uma campanha de Natal como dessas redes. É uma celebração”, esclarece.

Como nos filmes da John Lewis ou da Macy’s ou de outros anunciantes que costumam investir pesado em campanhas no final do ano, as mensagens da emissora também são emocionais. “No nosso caso, o filme marca a conexão entre a Globo e seu público. Temos de encontrar todos os anos uma mensagem e criá-la com um elenco de 300 pessoas. O público ama ver esse elenco”, completa Mariana. Pudera. Estão no filme nomes como Fernanda Montenegro, Lima Duarte, Marina Ruy Barbosa, Sandra Annenberg, Maju Coutinho, Cauã Reymond e Renato Aragão.

Ter esse time à disposição representa uma oportunidade única. Responsáveis pelo filme há seis anos, os sócios da Sentimental reconhecem a relevância desse fato. “Brinco que a gente poderia entrar para o Guinness como o filme que mais reúne celebridades no mundo. Com tanta gente assim, é sempre um desafio fazer a mensagem de final de ano”, comenta Luciano.

A participação do elenco acaba por gerar mais uma etapa na criação da vinheta. “Eles compram muito a ideia que a gente passa. Mas o environment é importante”, reforça Maurício. Sem entregar o ouro, vale dizer que, em um dos sets, pensou-se que a interação entre os atores e jornalistas e os elementos da cenografia seguiria um determinado estilo (quase como em um tradicional musical de Hollywood). “A música tem uma métrica e a gente pensou que a cena seria mais ‘formal’. Mas o Marcelo Adnet e o Ailton Graça interagiram de outro modo e eles agregaram diversão. E é isso mesmo. Queremos que todos se divirtam”, revela Maurício. Ou seja, a criação da mensagem tem uma dinâmica muito viva.

Com humor, ele e Luciano, fãs de Tony Ramos, dizem que um filme apenas com o ator seria bom o suficiente para transmitir uma mensagem de final de ano da Globo. Mas a participação do elenco confere uma força extra à vinheta. Tanto é verdade que os atores conversam entre si nos bastidores, comemorando o encontro entre as gravações e tirando fotos para compartilhar as selfies nas redes sociais, o que ressalta o ar de confraternização que o filme passa desde a sua produção.

Antes de voltarem aos estúdios para mais uma rodada de gravações, Maurício e Luciano destacam que a vinheta deste ano é a que mais está amarrada pela música. Por mais liberdade que se dê ao elenco, existe uma marcação a ser seguida. Isso demonstra que o craft do filme deste ano está em outro nível.

A produção da vinheta sempre foi muito cuidadosa. Porém, da música à cenografia, o desafio da execução da mensagem deste ano exigiu mais dos profissionais envolvidos. “A gente estava preocupado com o nível de dificuldade. Mas também pensamos que, de tanta dedicação de todos, este trabalho deve ser o melhor que fizemos”, afirma Maurício, já partindo para mais um set.

Veja abaixo as vinhetas que foram ao ar em 2018 e 2017.

Lena Castellón

‘Um novo tempo’ ao alcance das mãos

Filme de final de ano da Globo remete à beleza do dia a dia

/