arrow_backVoltar

Coalizão Brasil pelas florestas

Empresas e agronegócio querem urgência no combate ao desmatamento

16.09.20

A Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, movimento que reúne 230 representantes do agronegócio, de entidades ambientais e estudiosos, publicam documento (leia na íntegra aqui) que sugere seis medidas para reduzir o desmatamento, especialmente na Amazônia Legal.

As ações listadas pela Coalizão foram enviadas ao presidente Jair Bolsonaro, ao vice-presidente Hamilton Mourão (que preside o Conselho da Amazônia), e também aos ministros da Agricultura, Meio Ambiente, Economia, bem como aos líderes da Câmara e do Senado Federal.

Para frear o desmatamento, os autores do texto destacam a necessidade de retomar e intensificar a fiscalização, com responsabilização dos infratores; de suspender registros do Cadastro Ambiental Rural (CAR) que incidem sobre florestas públicas; de destinar 10 milhões de hectares à proteção e ao uso sustentável; de conceder financiamentos sob critérios socioambientais; e de que os órgãos de meio ambiente estaduais sejam transparentes nos dados sobre autorização de supressão de vegetação; e suspendam processos de regularização fundiária de imóveis com desmatamento após julho de 2008.

O documento, assinado por entidades e empresas como WWF Brasil, Unilever, Youth Climate Leaders e associações do agronegócio, afirma que "a Coalizão Brasil coloca-se inteiramente à disposição do governo, seja para prover informações, ajudar nas articulações com diferentes setores, ou outro tipo de apoio que possa acelerar a solução deste grave cenário".

Os alertas de desmatamento no bioma subiram 68% em agosto de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), divulgados na terça-feira (15). A empresa informa ainda que se trata do "pior mês de agosto verificado nos últimos 10 anos de monitoramento".

A Coalizão Brasil tem como objetivo propor soluções que possam ser implementadas imediatamente e que ataquem as causas do desmatamento, além de apoiar, de forma prática, as mobilizações recentes de CEOs de grandes empresas, da sociedade civil e de outros setores, que demonstraram preocupação com o tema, leia aqui aqui.

Leia também anterior sobre a campanha global Imperative 21, que tem a proposta de redefinir o capitalismo e ajudar a criar harmonia entre corporações e meio ambiente, aqui.

Espie ainda o documento da Coalizão Brasil na íntegra, aqui.

Coalizão Brasil pelas florestas

/