arrow_backVoltar

CCRJ

Chapa única deve ser eleita para assumir entidade em 2020

01.11.19

Daniel “Japa” Brito, que integra a equipe de criação da Central Globo de Comunicação, deverá ser o novo presidente do Clube de Criação do Rio de Janeiro (CCRJ).

Ele encabeça a chapa única que deverá ser eleita por aclamação e que assumirá a entidade em janeiro de 2020. Ricardo Weitsman, da WMcCann, concorre como vice-presidente.

Também estão confirmados na chapa Alexandre Abu (Oi Digital Surf), Bernardo Cople (Propeg), Bruno Pinaus (NBS), Bruno Richter (Camisa 10), Daniela Ribeiro (Artplan), Débora Tenca, Raul Santa Helena (Petrobras), Eric Ribeiro (Webedia), Gabriel Mattar (Kombat Filmes), Lara Azevedo (@noix), Marcelo Coli (Take4 Content), Mario Nakamura (butterflies)e Orlei “Passarinho” Gonçalves (Nova Onda).

No Conselho, Carla Sá (Rede Globo), Carlos André Eyer (NBS) e Toninho Lima (Brick).

Pedro Portugal, atual presidente do CCRJ, e o youtuber Spartakus Santiago foram convidados para atuar na área de projetos sociais na próxima gestão do Clube. João Luiz Figueiredo, da ESPM, será consultor para a economia criativa.

Miami AdSchool, Nova Onda e Butterflies já se comprometeram a patrocinar iniciativas que serão anunciadas ao longo de 2020.

Confira abaixo, o manifesto lançado pela chapa, na íntegra:

"CCRJ 2020. Não vamos deixar essa ideia morrer.

Um movimento de resgate, reconstrução e ressignificação.

- Ampliar o campo de visão do cenário criativo da comunicação no Rio de Janeiro para além das paredes das agências de publicidade.

- Promover e mentorear novos talentos e se aproximar do universo acadêmico.

- Empoderar novas lideranças criativas.

- Valorizar a atividade criativa e seu impacto positivo na sociedade e na economia.

- Destacar a qualidade do mercado e seus potenciais.

- Apoiar o empreendedorismo, a inovação e o mindset ágil e digital.

- Defender a livre-circulação de ideias, o pensamento crítico, a cultura imaterial e a iniciativa aberta.

- Estimular iniciativas de inclusão social, racial, PNE e de gênero na indústria da comunicação.

- Promover parcerias estratégicas de conteúdo com outras associações e entidades representativas.

- Realizar eventos, encontros, palestras, workshops, hackathons.

- Resgatar projetos de sucesso como o Young Creatives.

- Dar continuidade ao que deu certo e imaginar o novo.

Menos clube fechado, mais comunidade aberta, coletivo pensante.

Redatores, roteiristas, planners, diretores de arte, designers, influenciadores digitais, figurinistas, produtores de conteúdo, diretores de cena, fotógrafos, músicos, djs...

Gente com vontade de fazer valer a criatividade em suas múltiplas manifestações."

CCRJ

Chapa única deve ser eleita para assumir entidade em 2020

/