arrow_backVoltar

CEO do Grupo WPP

“Precisamos nos unir - como agências e como setor”

25.03.20

Em artigo publicado na Campaign, o CEO do Grupo WPP, Mark Read, afirma que o trabalho da indústria da comunicação “importa mais do que nunca”. Após conversas com CEOs e CMOS de algumas das maiores empresas anunciantes da holding, ele comenta que está convencido do papel que o mercado irá desempenhar não somente na luta para limitar a propagação do vírus, mas em ajudar a sociedade a retomar o trabalho quando todos puderam voltar a seus escritórios.

Read conta um pouco da rotina de trabalhar em casa, o que não é fácil, mas é a medida preconizada pela OMS como forma de conter o avanço da doença. E enumera medidas que estão sendo tomadas mesmo assim – e as ações que o CEO do WPP destaca não se restringem às da holding que comanda.

Veja trechos:

Confinamento

“Com as pessoas confinadas em suas casas, nossas vidas pessoais e profissionais foram alteradas de maneiras que não poderíamos imaginar. Para muitos, o custo será muito maior que o inconveniente.”

“Acho que nenhum de nós achará isso fácil. Alguns acharão solitário e isolado. Temos uma força de trabalho jovem e muitos compartilham apartamentos. Poucas pessoas têm o luxo de um escritório separado em casa. Os pais discutem sobre quem está fazendo uma videoconferência e quem está cuidando das crianças (depois de alguns dias, posso dizer que isso é verdade!). Todo mundo tem suas próprias preocupações pessoais com familiares e amigos vulneráveis.”

“Estou passando o máximo de tempo possível conversando com nosso pessoal, via video calls no Teams, e com clientes por meio de vários sistemas de vídeo. Todas essas ligações começam da mesma maneira: perguntas sobre como estamos, como nossas famílias estão lidando com isso. Oferecemos ajuda uns aos outros, da maneira que pudermos. Novas amizades se formam rapidamente.”

Desafio

“Todos sabemos que os próximos meses serão difíceis. Agora, mais do que nunca, precisamos nos unir - como colegas, como agências e como setor. Estou satisfeito, mas não surpreso, ao ver inúmeros exemplos disso acontecendo no WPP e além dele.”

“Enquanto converso com CEOs e CMOs dos nossos maiores clientes, estou cada vez mais convencido do valor da nossa indústria e do papel que podemos desempenhar, não apenas na limitação da propagação do vírus, mas em ajudar a sociedade a voltar ao trabalho quando pudermos estar do outro lado.”

Ações

“No WPP, estamos trabalhando com autoridades internacionais de saúde para promover a lavagem eficaz das mãos. Oferecemos nossos recursos ao governo do Reino Unido para ajudar no esforço feito na Grã-Bretanha.”

“A Ogilvy é uma das 35 agências na Espanha que trabalham com cinco órgãos da indústria para usar o poder coletivo da publicidade para combater a disseminação do Covid-19. O WPP Health organizou um fórum online para 2,6 milhões de cidadãos chineses e mais de 200.000 médicos.”

“Não é hora de marcar pontos competitivos, mas de solidariedade, e quero reconhecer e aplaudir o excelente trabalho que nossos colegas estão fazendo.”

“Para listar apenas alguns: a Dentsu está trabalhando com um cliente do setor de farmácias para fornecer consultas online gratuitas; Arthur Sadoun enfatizou em um vídeo para todo seu time que o bem-estar da equipe da Publicis é sua prioridade; a Havas está ajudando seu time a se manter saudável com meditação e ioga via lives no Instagram; e a BBDO trouxe algum humor ao criar um "gerador de logo" para as pessoas que estão em home office.”

“Clientes também estão colocando suas responsabilidades sociais em primeiro lugar e pensando de forma criativa e inovadora sobre maneiras como ajudar, seja a Unilever apoiando autoridades globais e locais ao doar produtos de higiene, seja o Google lançando um site educacional e recursos para pais educarem seus filhos em casa , seja a LVMH mudando sua produção para desinfetante para mãos, seja o Facebook com seu programa de US$ 100 milhões para apoiar pequenas empresas ou seja a Ford facilitando pagamentos em veículos novos.”

O que tem a oferecer esta indústria

“Por trás de todo esse trabalho está o que torna nossa indústria especial - pessoas que entendem o comportamento e as emoções humanas. Entendem não apenas o que nos motiva, mas por que isso acontece.”

“Criativos que evocam ideias e campanhas que engajam as pessoas da maneira certa, no tom certo em um momento conturbado. Inovadores que surgem com novos produtos, novas soluções de tecnologia e novas maneiras de ajudar os consumidores. Profissionais de relações públicas que aconselham CEOs sobre como se comunicar com seu time, com investidores e consumidores para ajudá-los a enfrentar a crise. Especialistas em mídia que sabem a melhor maneira de alcançar as pessoas, não apenas nas mídias sociais, mas por meio das chamadas mídias legadas, como TV, jornal e rádio - nos quais as pessoas procuram notícias em que podem confiar.”

E depois?

“Quando isto acabar, alguns vão querer celebrar, mas outros estarão em um lugar muito diferente. Muitos terão perdido entes queridos ou seus meios de subsistência. Todo mundo terá feito escolhas difíceis. Nosso trabalho é entender isso e ajudar nossos clientes a estarem prontos.”

“Por enquanto, as marcas precisam se comunicar adequadamente, enquanto esperam a recuperação. As pessoas lembram o que as marcas fazem em momentos como esses. Como vimos após a recessão em 2008, aqueles que investem nas ações corretas e nas comunicações corretas durante uma crise são recompensados de maneira desproporcional quando os gastos do consumidor retornam. Essa é uma mensagem importante para todos nós levarmos aos nossos clientes, como um setor.”

“Também precisamos lembrar que desempenhamos um papel vital para impulsionar e sustentar a atividade econômica mais ampla que o mundo vai precisar para funcionar. Todo país precisará estimular essa atividade quando entrar na fase de recuperação. Nosso trabalho será mais importante do que nunca.”

“Enquanto isso, vamos cuidar um dos outros da maneira que pudermos.”

CEO do Grupo WPP

“Precisamos nos unir - como agências e como setor”

/