arrow_backVoltar

‘Discriminação racial’

Nike enfrenta processo nos EUA

22.03.19

Meses depois de lançar campanha com o jogador Colin Kaepernick, que se destacou ao protestar contra o racismo (leia e veja aqui), a Nike está enfrentando um processo movido por um ex-funcionário, que acusa a gigante esportiva de discriminação racial.

Ahmer Inam, que havia trabalhado na empresa como diretor sênior de análise avançada, alega em uma ação que ele enfrentou discriminação racial durante seus três anos como empregado da Nike.

Inam, que é de Nova Delhi, na Índia, afirma que teve um "tratamento desigual baseado em sua raça, cor e origem nacional", segundo o processo, que também descreve que ele recebeu menos que os profissionais brancos, teve promoções negadas que foram ofertadas a colegas brancos e foi submetido a "tratamento hostil e intimidador".

O executivo teria tentado relatar os problemas ao CEO da Nike, Mark Parker, no ano passado.

Inam quer uma indenização por danos econômicos de US$ 516 mil e danos não econômicos e honorários de US$ 350 mil.

Em um comunicado, uma porta-voz da companhia disse: "Não podemos comentar sobre a queixa apresentada recentemente, mas a Nike está comprometida em criar uma cultura de capacitação e respeito onde todos possam ter sucesso e contribuir para o nosso sucesso".

Leia a matéria do AdAge na íntegra aqui.

‘Discriminação racial’

Nike enfrenta processo nos EUA

/