arrow_backVoltar

Diversidade no cinema

Criticado, prêmio inglês irá rever votação

09.01.20

A Academia Britânica de Artes de Cinema e Televisão, conhecida por Bafta (acrônimo do nome em inglês), está revendo seu processo de votação após críticas à falta de diretoras ou de profissionais negros ou de etnias minoritárias na lista de indicados às principais categorias de sua premiação, que acontece no dia 02 de fevereiro. Os nomeados foram revelados na terça-feira (07) – a lista completa pode ser acessada aqui.

Entre as categorias destinadas a atores não há nenhum profissional negro. Ficaram de fora da disputa nomes como Cynthia Erivo e Eddie Murphy, que estavam entre os indicados ao Globo de Ouro (veja como foi a premiaçãoa primeira da temporada dedicada ao cinema e à TV). Ou mesmo Lupita Nyong'o, estrela de "Nós", que não foi indicada em nenhum dos dois prêmios. No caso da lista de diretores, não há nenhuma mulher, da mesma forma que ocorreu no Globo de Ouro.

As críticas pela falta de diversidade têm sido recorrentes, informa o Guardian. Em 2018, um relatório revelou que 94% de todos os indicados eram brancos.

A organização do Bafta comunicou que serão consultadas várias fontes e órgãos da indústria, bem como os membros da academia, para estudar alterações. A ideia é que as mudanças no sistema de votação que ampliam a diversidade nas indicações sejam colocadas em prática antes do início da votação para os prêmios de 2021.

Segundo o Guardian, em e-mail enviado aos eleitores da academia, Marc Samuelson, chefe do comitê de filmes do Bafta, e Amanda Berry, presidente-executiva da entidade, disseram que as indicações foram "frustrantes e profundamente decepcionantes". Os dois confirmaram que iriam realizar a revisão. E escreveram: "Analisaremos todos os aspectos de nosso processo de votação, ouviremos todas as partes interessadas e faremos o que mais for necessário para abordarmos as causas da sub-representação em nossas indicações".

Um estudo recente da Universidade do Sul da Califórnia mostrou que o número de mulheres dirigindo filmes importantes mais do que dobrou no ano passado, em comparação a 2018. Mas a participação ainda é baixa. A pesquisa indicou que quase 11% das pessoas que dirigiram os 100 melhores filmes lançados em 2019 são mulheres.

No caso da diversidade racial, o trabalho revelou que entre as pessoas que dirigiram esses 100 melhores filmes do ano passado 19 são não-brancas. Em 2018, esse número foi 24.

“Dois Papas”

Na disputa dos prêmios do Bafta, o filme “Dois Papas”, dirigido por Fernando Meirelles, tem cinco chances de receber uma estatueta. O longa concorre nas seguintes categorias: Melhor Filme Britânico, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Direção de Elenco, Melhor Ator (Jonathan Pryce), e Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins). O filme que tem mais indicações é “Coringa”, com 11. Em seguida está “O Irlandês”, com 10.

Diversidade no cinema

Criticado, prêmio inglês irá rever votação

/