arrow_backVoltar

O espaço é seu

Coragem, o Cão Covarde

14.01.20

O nome das coisas é algo muito poderoso. Se for nome de ideia então, pode ser relevante para o sucesso e, com certeza, para a lembrança dela. Fearless Girl”, “Dumb Ways To Die”, “The Most Interesting Man in the World. Viu só? Você não precisa nem conhecer a ideia para gostar delas.

Agora, indo para um outro mundo criativo que eu gosto muito: o de desenhos animados. Eles quase sempre apresentam nomes e ideias curiosos. Quem aí não lembra de “Du, Dudu e Edu”? Ah, como eu queria nomear meus três filhos assim. Ia passar o dia chamando eles. E o melhor é que quanto mais rápido você fala, mais divertido fica. Dududuedu. Vai, testa aí em voz baixinha.

Bom, mas o assunto aqui, na verdade, é sobre outro nome. O “Coragem”, um personagem que, apesar de ser chamado assim, muitas vezes se demonstra um covarde. Ele até enfrenta monstros e alienígenas, mas sempre com medo. E, por isso, temos esse nome maravilhoso de uma ideia, de um desenho: “Coragem, o Cão Covarde”.

Alguns meses atrás, participei de uma mesa redonda, onde surgiu um assunto que frequentemente vem à tona: pessoas de fora de São Paulo têm chances nesse mercado tão disputado daqui? Essa questão é muito forte principalmente para quem está fora, nas suas cidades natais. Por isso, resolvi falar um pouco disso. Afinal, quando olhamos para a realidade de algumas agências, vemos um cenário que é bem mais animador nesse sentido, mas que quem está de fora muitas vezes não sabe. Vou falar um pouco mais focando o olhar na criação, que é onde posso observar melhor.

Aqui na CP+B, por exemplo, temos na criação pessoas de Salvador, Curitiba, Florianópolis, Belo Horizonte, Guarulhos, Uberlândia, Vila Velha e Pombal - que fica na Paraíba. Já eu, sou de Goiânia, Kassu do Rio de Janeiro e Marcão de Presidente Prudente.

Não acho que isso seja uma coincidência. Quem vem de fora sabe. A gente não tem a opção de errar, de fracassar ou de dar aquela descansada. Somos de fora, deixamos muito para trás: família, amigos, cultura, casa, a porra toda. E com um só objetivo: vencer. Então, a gente rala, o sangue escorre do olho, a faca corta o cantinho da boca. O que não falta são motivações.

Na maioria dos casos, vejo esses profissionais se dando bem, crescendo e conquistando um espaço relevante nesse mercado tão disputado.

Por isso, se você é uma dessas pessoas de outras cidades menores, ou até mesmo se você é uma das 786 pessoas de Serra da Saudade - que fica no Centro-Oeste de Minas e é considerada a cidade com menos habitantes do país - tenho uma coisa para te dizer: coragem.

Mas não seja como o cão do desenho, enfrente com menos medo. Como já dizia o Emicida: “Irmão, você não percebeu que é o único representante do seu sonho na face da terra e se isso não fizer você correr, chapa, eu não sei o que vai fazer”.

Mete as caras. Entra de cabeça. Vem com tudo. Chega chegando. Dá a cara a tapa. Tenho quase certeza que vai dar certo. Boa sorte.

Marcelo Rizério, diretor de criação da CP+B

O espaço é seu

Coragem, o Cão Covarde

/