arrow_backVoltar

Festival do Clube 2019

Propósito: a hora de redefinir o futuro dos negócios

16.09.19

A palavra “propósito” tem conquistado mais atenção das empresas. E há uma questão que ela desperta: como gerar impacto efetivo e positivo para as pessoas e para o ambiente sem deixar de fazer negócios? Não há respostas únicas. Mas o painel “Marcas e Propósito: Redefinindo o Conceito de Sucesso nos Negócios”, que acontecerá no terceiro dia do Festival do Clube, irá procurar esclarecer algumas questões que podem orientar rumos ou mesmo corrigir rotas.

O seminário terá mediação de Tatiana Mendizabal, cogestora e articuladora do Sistema B, e as participações de Francine Lemos, sócia e diretora executiva da Cause Brasil, Miriam Lima, sócia e diretora de novos negócios da Rede Asta, e Rodrigo Santini, country brand leader da Ben & Jerry’s. “Queremos mostrar que é possível gerar impacto em duas dimensões como empresas: 'O que você faz' e 'Como você faz'”, diz Tatiana.

Vale entender o que significa Sistema B. O Movimento Global de Empresas B foi criado em 2006, nos Estados Unidos, com o objetivo de redefinir sucesso na economia para que sejam considerados não apenas o êxito financeiro, como também o bem-estar da sociedade e do planeta. Ele se expandiu mundialmente e, desde 2013, está no Brasil com a denominação de Sistema B. Atualmente, há mais de três mil empresas B em 70 países, sendo mais de 160 no Brasil, pulverizadas em cerca de 130 setores. Uma delas é exatamente a Rede Asta, um negócio social que ajuda a transformar artesãs em empreendedoras que transformam resíduos em produtos bons, bonitos e do bem. 

Segundo Tatiana, as empresas B se portam não como melhores do mundo, mas melhores para o mundo. Esse entendimento está ancorado em três pilares. O primeiro é o propósito (gerar impacto social e ambiental positivo no curso das suas atividades), em seguida estão a responsabilidade vinculada (incorporar todos os stakeholders na tomada de decisão) e a transparência (medir e reportar o impacto).

Dizemos que só podemos mudar o que conhecemos. Ser uma empresa B não é uma posição, mas sim uma direção para ser cada vez melhor. É a oportunidade de tangibilizar o impacto social e ambiental numa régua e por meio de indicadores, que irão ajudar a gerenciar a melhora contínua do negócio”, completa. Nessa esteira, surgem serviços especializados que ajudam as empresas a seguir nessa direção. A Cause Brasil trabalha para marcas e organizações que queiram identificar causas e fazer a gestão de projetos que se conectam com a marca e com as demandas destes tempos.

Gerar impacto social e ambiental é tanto um dos assuntos da agenda do mundo corporativo que no dia 19 de agosto passado 181 CEOs de empresas americanas do porte de Amazon, Apple, J.P Morgan, Pepsi e Walmart se reuniram para lançar um manifesto a respeito. O documento afirma que a era dos acionistas está chegando ao fim e que está mais do que na hora de dar espaço a um modo de fazer negócios que privilegie consumidores, funcionários, fornecedores e as comunidades aonde estão inseridos.

A repercussão foi grande e, obviamente, o mundo de negócios parou para escutar. No domingo seguinte, o Sistema B publicou um anúncio de página inteira no New York Times instigando essas empresas a partirem para ação sob o titulo 'let's get to work’', conta Tatiana. De acordo com ela, a pergunta que fica para nós é: como direcionar essas mudanças e como a comunicação e a publicidade podem apoiar as marcadas nessa jornada.

No Brasil, a Ben & Jerry's, por exemplo, estampa em seu site que tem uma missão que reflete o que foi exposto no mês passado pelas gigantes americanas. Seu objetivo é "criar uma rede de prosperidade linkada com todos aqueles que estão integrados ao nosso negócio: fornecedores, funcionários, fazendeiros, lojistas, clientes e sociedade". Discutir o que as marcas estão fazendo nesse sentido é uma forma de provocar reflexões no mercado e talvez mudanças. “Entre empresários, executivos, políticos, acadêmicos, investidores, pais e filhos, homens e mulheres, no fim do dia somos todos consumidores. E a publicidade e a comunicação têm um papel fundamental na sensibilização, inspiração e informação sobre como as empresas podem, no seu dia a dia, fazer diferente para fazer melhor”, afirma Tatiana.

Para a área de publicidade, há uma grande oportunidade de trazer luz a essa produção e ao consumo consciente de uma maneira divertida, acessível e capaz de influenciar e mudar comportamentos. Quando pensamos no futuro, a geração millennial já vem com essa visão de transparência, de causas, de propósito. As empresas têm de ser verdadeiras nessa jornada de mudança cultural e a publicidade deve saber transitar e comunicar essa nova economia”, resume.

Leia também “Os planos infalíveis de Maurício de Sousa

Veja a programação completa do Festival do Clube de Criação 2019.

SERVIÇO

Festival do Clube de Criação
Quando: Setembro, 21, 22 e 23 - 2019 - sábado, domingo e segunda-feira
Local: Cinemateca Brasileira - São Paulo – Brasil
Largo Senador Raul Cardoso, 207, Vila Clementino
Ingressos à venda (aqui). Garanta já o seu.
Hosted by: Clube de Criação
55 11 3034-3021
Facebook Clube de Criação
Twitter - @CCSPOficial
Instagram - @ClubedeCriacao

Teremos serviço de shuttle para quem quiser estacionar no Hotel Pullman Ibirapuera
Horário: das 08h30 às 22h30
Trajeto: Pullman / Cinemateca / Pullman
Abertura dos portões e do credenciamento: sábado, domingo e segunda às 9h

Festival do Clube 2019

Propósito: a hora de redefinir o futuro dos negócios

/